fbpx

Notícias

Compartilhe essa publicação

ITDP Brasil participa de pesquisa responsável por avaliar o impacto da Paulista Aberta

Quase cinco anos após o início do Paulista Aberta, programa que restringe a circulação de veículos motorizados aos domingos e feriados nos dois sentidos da Avenida Paulista na cidade de São Paulo, uma equipe formada pelo Laboratório de Mobilidade Sustentável da UFRJ (LAB-MOB), ITDP Brasil, Bike Anjo e Corrida Amiga e com o apoio do Instituto Clima e Sociedade (ICS), avaliou o impacto da iniciativa.

A avaliação do impacto do programa foi feita a partir da análise de indicadores urbanos nas dimensões ambiental, urbana, social e econômica. O estudo contou com entrevistas feitas com moradores, frequentadores, lojistas e ambulantes, observações no local e dados da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (CETESB), do Metrô SP, e do Datazap.

Os resultados da Avaliação do Impacto da Paulista Aberta na Vitalidade Urbana mostram que o programa incentiva a realização de atividades de lazer e exercícios físicos na Avenida e também em outros espaços ao ar livre na cidade de São Paulo. 73% das pessoas afirmaram que frequentar a Paulista aos domingos e feriados foi incentivador para participar de mais atividades em espaços públicos em outros momentos do dia-a-dia.

Foi verificado também uma redução no uso de veículos motorizados pelos moradores nos dias da Paulista Aberta. 43% deles afirmaram usar o veículo aos domingos e feriados antes do início do programa, enquanto atualmente somente 21% sai de carro nesses dias. Esse resultado já era esperado, considerando que os moradores dessa região têm dificuldade de se locomover de carro devido ao fechamento da Avenida para veículos motorizados nesses dias.

Em relação à poluição sonora, 45% das pessoas que frequentam a Paulista nos dias sem carro afirmam que se sentem confortáveis ou muito confortáveis com os ruídos. Já para 40% dos moradores da Avenida, o nível de poluição sonora durante os dias de Paulista Aberta é desconfortável ou muito desconfortável. O resultado mostra um ponto de atenção a ser avaliado para a manutenção do sucesso do programa.

O estudo mostrou também que 63% dos frequentadores realiza algum tipo de consumo no comércio local em todas ou na maioria das vezes que visita a Avenida nos dias de Paulista Aberta. A maioria dos respondentes consome itens de alimentação no comércio formal estabelecido no local, e esse resultado vem ao encontro da opinião dos comerciantes – 66% declararam que seu volume de vendas aumentou aos domingos após o início do programa.

No geral, 97% dos frequentadores, 71% dos moradores e 86% dos comerciantes da Avenida Paulista são a favor do programa, tanto pelo espaço favorável para a realização de atividades de lazer e por deixar a rua mais viva, ativando o espaço público, quanto pelo aumento no fluxo de clientes aos domingos.

Foto de capa: Marcela Kanitz

Falta apenas um passo para concluir o download

Por favor, inclua os dados solicitados:

Skip to content