fbpx

Notícias

Compartilhe essa publicação

Consórcio GITEC-ITDP Brasil e GIZ desenvolvem ações voltadas para a gestão da mobilidade urbana em Sorocaba e Uberlândia

Nos municípios de Sorocaba (SP) e de Uberlândia (MG) a melhoria da mobilidade urbana têm sido objeto do Projeto Demonstrativo de Estratégias de Gestão de Mobilidade Urbana, que está em desenvolvimento desde o início de 2017. Ele se insere no contexto do projeto Eficiência Energética na Mobilidade Urbana (EEMU), que faz parte da parceria entre o Ministério das Cidades e a Cooperação Alemã de Desenvolvimento Sustentável. EEMU está sendo implementado por meio da Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit (GIZ) GmbH.

O Consórcio GITEC-ITDP Brasil tem atuado de forma integrada na execução do projeto demonstrativo.  A atuação está em cidades de médio porte – ambas com aproximadamente 600 mil habitantes – e visa melhorar a eficiência energética na mobilidade urbana por meio da ampliação de medidas de gestão. Sendo assim, esses esforços estão associados a três objetivos: (i) estimular a mudança modal para modos mais eficientes, (ii) impedir o aumento da atividade de transporte individual, reduzindo a demanda diária, e (iii) melhorar/otimizar as viagens existentes. Assim, com duração total de até mediados de 2018, o projeto demonstrativo visa desenvolver instrumentos e métodos associados à elaboração, em modo piloto, de uma nova proposta da gestão urbana integrada para as cidades.

Para isso, foram escolhidas cinco ações para implantação nos municípios:

Ação transversal (em ambas as cidades):

  1. Indicadores de transporte público: voltados para a avaliação e o monitoramento dos sistemas de transporte coletivo em cada cidade, incluindo critérios relativos à qualidade, desempenho, nível de serviço e eficiência energética a serem incorporados nas próximas concessões do transporte público coletivo.

Ações em Sorocaba:

  1. Estacionamento: Política e estratégia de gestão de estacionamento, incluindo recomendações para o sistema de estacionamento rotativo e alocação das receitas provenientes.

  2. Otimização: Estratégia para otimização da rede de transporte público coletivo e melhoria da qualidade dos serviços.

Ações em Uberlândia:

  1. Integração temporal: Estudo comparativo e recomendações para a implantação da integração temporal no sistema de transporte público coletivo.

  2. Gestão da informação: Fortalecimento institucional com foco na gestão da informação para gestão da mobilidade urbana.

Uberlândia e Sorocaba são cidades semelhantes em porte e importância, mas que se diferenciam fortemente no aspecto relacionado ao transporte coletivo. Uberlândia dispõe de um corredor exclusivo de ônibus, sistema de integração tarifária física e administração direta do sistema de mobilidade. Já Sorocaba ainda não possui nenhum tipo de priorização do transporte coletivo, mas conta com ampla cobertura da rede de transportes e integração temporal no seu sistema. Atualmente a cidade busca opções para melhorar a infraestrutura dedicada ao transporte coletivo por meio da implantação de corredores de BRT e de faixas exclusivas, bem como do estabelecimento de medidas de priorização viária para os ônibus, o que pode contribuir para melhorar a qualidade dos serviços ofertados.  

Sorocaba e Uberlândia recebem equipe do ITDP

O trabalho realizado envolve a revisão dos indicadores utilizados nas concessões de transporte coletivo nas cidades de Sorocaba e de Uberlândia e a proposição de novos indicadores que incluam critérios relativos à qualidade, ao desempenho, ao nível de serviço e de eficiência energética. A expectativa é de que esses novos instrumentos de avaliação sejam incorporados nas próximas concessões.

Ulises Navarro, Diretor Técnico de Transporte Público pelo ITDP para América Latina e Gabriel Oliveira, Coordenador de Transporte Público do ITDP Brasil, visitaram, em outubro, ambas as cidades, em conjunto com equipe da GITEC. Foram realizadas reuniões de priorização de indicadores e identificação de barreiras para a gestão e monitoramento de indicadores, com especialistas da Secretaria de Transporte e Trânsito (Settran) de Uberlândia e da Empresa de Desenvolvimento Urbano e Social de Sorocaba (Urbes – Trânsito e Transportes).

Gabriel Oliveira destacou que “as principais barreiras à implementação de indicadores se referem à falta de acesso aos dados de operação de trânsito e mecanismos efetivos de penalidades”. Para enfatizar a necessidade de investimentos em tecnologia no processo de fiscalização da operação, Ulises Navarro ressaltou que “é recomendável a maior aplicação de tecnologia no processo de fiscalização da operação”.

Esta etapa do trabalho compreende a implantação de ações de gestão visando a melhoria da eficiência energética na mobilidade urbana nas cidades-piloto (Uberlândia e Sorocaba). O projeto demonstrativo tem sido desenvolvido de forma que possa ser replicado em outras cidades brasileiras de médio porte.

 

Falta apenas um passo para concluir o download

Por favor, inclua os dados solicitados:

Skip to content